Chat da Rádio Municipalista Brasil

Rádio Municipalista Brasil

domingo, 5 de fevereiro de 2012

Oh! minha cigana

Oh!Minhha cigana preferida,razão eterna de minha vida,mulher amada,a tanto tempo procurada e por séculos querida.
Arrume a tenda com flores,encha o ambiente de cores,
trago oito séculos de amores, chega ,acabaram-se os temores.
Ascenda os incensos perfumados,receba aqui seu amado,que esta chegando cansado,com o fogo da paixão aceso no coração desde o inicio da história.
Sim ,passei por momentos escuros,sem acreditar no furo,mas com coragem cheguei,só Deus sabe as batalhas,vencidas por estas vidas,que sózinho enfrentei,tenho tudo na memória.
É chegado o momento,de tão lindo sentimento se concretizar enfim,me entregando a voce e voce se entregando a mim,tudo agora é passado,estaremos lado a lado,cumprindo nosso destino.
Venha minha musa cigana,venha me abrace com gana,que com gana vou te abraçar,tornando mágico o regresso,pois até o universo neste momento irá girar,nos fazendo meninos.
É louco tudo isso parece surreal,mas só quem atua na peça, consegue entender o enredo, a performance teatral.
Venha cigana,esqueça os sécuos,os anos,venha e cubra de beijos este seu valente cigano.

Um comentário:

Anônimo disse...

AINDA TE ESPERO

Nem mesmo tempo foi capaz de desatar os laços que prendem as nossas almas,
Te escrevo um canto com linguagem dos céus, dos anjos, das águas claras e calmas,
Onde e em qualquer lugar que estive nesse mundo de meu Deus,
Os seus desejos mais ocultos sempre estiveram ligados aos meus,
Sempre soube de você, o vento, o sol e a chuva,
Me trazem notícias suas,
Sempre quando me apanho afogada em poeira e esquecimento,lembro-me do juramento,
Que um dia fiz na presença divina,
Te sinto, te amo te quero ,ô se te quero, acima de tudo te venero,
Vou andando como fera em silêncio sem rumo atrás do meu destino, com cautela pra não causar desatinos, nas vidas a que estou envolvida,e não ser atropelada por elas, através do sol,
Te vejo,e te desejo no vento sinto o teu cheiro,
A minha tenda eu enfeitei,
com cortinas do tempo, colchas de retalhos da minha vida que eu mesma costurei,
Almofadas de sonhos acetinados, e perfumes do teu corpo que no meu eu ainda guardei,
A fogueira que acendemos com o nosso calor, jamais se apagou
O incenso ainda queima como o meu peito aqui,
E o cheiro de jasmim que exala me inebria e me acalma adormecendo-me levando-me até a ti,
Assim não morro de saudades, enquanto aguardo a sua volta para matar essa vontade de te amar novamente minha vida,
Mas tu tens o teu caminho e não podes fugir.
Os dias se passam vagarosamente, angustiantemente sem ti,
As noites se alongam e se arrastam sem ti, sem o teu amor, sem teus beijos, sem o teu abraço, só me resta sonhar,
Ah se eu fosse livre e tivesse asas como os pássaros, eu estaria ao teu lado amor, me vejo encurralada em uns braços que não me deixam mover, não me deixam viver,
Te desejo e me desejas mas estamos aprisionados pelos os nossos caminhos
Em busca da evolução,sabes meu anjo?Somos almas afins,um dia nessa ou em outras vidas nos encontraremos novamente e nos amaremos como os querubins!!!

Ass: A sua Cigana.