Chat da Rádio Municipalista Brasil

sábado, 3 de janeiro de 2015

Mineirinho e a Malouqueirinha

Mineirinho era um garoto,deste chegado de Minas Gerais,apesar de já haver vários anos ele ainda mantem seu tipo caipira,autentico mineiro,daqueles que falam uai sem preocupação,come tutú, pão de queijo com prazer. Mas mineirinho vive na capital paulista anos setenta,quando em seu bairro ainda existem muitos terrenos baldios,onde se pode brincar de bola,pião bolinhas,soltar pipas. È em um destes espaços que mineirinho está brincando com alguns amigos perto de sua casa,duas ou três ruas abaixo há uma favela iniciante ainda, diferente das favelas que existem hoje. Ainda são formadas pela quase maioria de pessoas,que realmente não tem onde morar,pagar aluguel?Nesta época era coisa rara apenas para quem podia,comprar terreno e construir era até um tanto quanto fácil,lá pelos cafundós. Mas voltando ao mineirinho e sua trupe,estão ali jogando bolinhas,como eram vários alguns jogavam bolinhas outros conversavam,porque neste tempo já era assim cada brinquedo em seu tempo. Tempo de pião,de bolinhas,de pipas,etc...não me lembro de outros brinquedos com tempos determinados exceto os que surgiam e sumiam como bate bag.ioiô e outros. Eis que passa uma menina,e mineirinho brinca com ela,ela corresponde a brincadeira muito educadamente de ambas as partes. Grita um dos infantes: _Olha o mineirinho,até as malouqueirinhas da favela ele conhece.Mineirinho fica sem jeito,sem saber o que fazer pois o cara é seu amigo,mas amenina é sua prima. Ele apenas diz: _É minha prima seu "jacu".(no mineirês é o mesmo que idiota),eis que o irmão da menina estava no meio da turma,portanto primo de mineirinho,mas este apenas foi bravo tirar satisfação com o moleque. Este depois de se desculpar,junto ao mineirinho e seu primo,continuou brincando normalmente,com a turma. Mas o irmão da "malouqueirinha"portanto malouquerinho também,nunca mais esqueceu aquela cena,muito provavelmente o mineirinho tenha a esquecido,pois ele não foi magoado,marcado,discriminado. O garoto de certa forma também não tinha culpa,pois ele apenas reproduzia o que ele ouvia,era assim,é assim,muita gente que não vive na favela,tem mania de chamar a quem ali mora de malouqueiro sem saber que malouqueiro é o verdadeiro brasileiro,o índio que vivem os poucos que restam em maloca. Maloca tão somente é um grande barracão coberto de palha ou capim onde se vive coletivamente,tenho certeza que aqueles a quem se tentou agredir com este termo hoje amaria a ideia de ser realmente índios,viver na selva livre até deste idiotas preconceituosos. Diga mineirinho ao seu amigo,que sua prima não é mais "malouqueira",vive em casa própria,paga impostos como ele,ela progrediu graças exclusivamente ao seu trabalho. Seu irmão também saiu da condição de favelado há muito tempo,não que isso denigra a imagem de alguém,o que denigre a imagem é a falta de caráter,ombridade,honestidade e isso existe muito mais nas mansões e palacetes do que dentro dos barracos da favela. Celio Rheis

Nenhum comentário: