Chat da Rádio Municipalista Brasil

quinta-feira, 1 de novembro de 2012

Ter Você é...


Ter você é... 
Ter você não é apenas sentir seu corpo,sentir seu prazer ou ver seus olhos brilharem...não é apenas te ver estremecer,desmanchar em sussurros,ver a chuva cair e nossos corpos molharem. 
Ter você é ter a vida colorida,sair andando pela vida com cara de bobo querer gritar..sim gritar pela rua que minha vida é sua,afinal tenho alguém para amar. 
Ter você é saber que a noitinha você será minha, depois do cansaço do dia nossas fantasias envoltas em magia nos fará viajar. 
Finalmente a sós, seu olhar sua vos,seu sorriso encantador,minha musa amada,mulher encantada viveremos o amor. 
Na manhã com a aurora...a lua indo embora,saio a a trabalhar,mas ainda saciado seu cheiro impregnado,vou sempre te lembrar. 
Ate que chegue o final do dia de labor,saio então correndo pois estou quase morrendo com saudade do amor. 
Novamente alegria num final de dia,outra poesia vamos escrever,com nossa caricias jardins de delicias,em nosso suor. 
Mas não se resume em cama e prazer,depois do amor feito saímos do leito..todos saciados,com mão na mão,coração a coração,vamos passear. 
Jardins e calçadas,com as mãos dadas almas entrelaçadas vamos as estrelas olhar,trilhar por caminhos,trocando carinhos,ter você é te amar. 
Ter você... 

Celio Rheis

6 comentários:

Claudinha Carbone disse...

linda mto linda poesia anjo
adoreiii
bjsss mil

dhily my love disse...

bonita poesia célio, parabens

ygor sthefan disse...

Adorei sua poesia. parabésn pelo talento.

Celio Rheis disse...

Obrigado Igor,obrigado querida dhily e querida e amada claudinha obrigado a todos pelo prestigio

Rutra1 disse...

Nem será um comentário
Mas sim,uma certa ideia
Se o mundo está doente
Para que seguir em frente
Com essa enorme teia???

Os portugueses e o mundo
Estão de cabeça cheia
Apesar de ainda haver
Quem de nada querer saber
Mesmo vendo a coisa feia!

Este se é comentar...
Em meu jeito de escrever
Faço-o bem, sem pensar
Onde tudo irá parar?..
Com tanto já a morrer!

É premente, ou já tarde
Mudar o que não está bem
Os velhos tinham razão
De aos novos dar a mão
Ou nates o que se tem.

Rutra1 disse...

Nem será um comentário
Mas sim,uma certa ideia
Se o mundo está doente
Para que seguir em frente
Com essa enorme teia???

Os portugueses e o mundo
Estão de cabeça cheia
Apesar de ainda haver
Quem de nada quer saber
Mesmo vendo a coisa feia!

Este se é comentar...
Em meu jeito de escrever
Faço-o bem, sem pensar
Onde tudo irá parar?..
Com tanto já a morrer!

É premente, ou já tarde
Mudar o que não está bem
Os velhos tinham razão
De aos novos dar a mão
Ou antes o que se tem.

Eu creio na juventude
Mas com tantas incertezas
Tendo sido um bom pai
Da cabeça não me sai
Por agora ter tristezas!