Chat da Rádio Municipalista Brasil

sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014

Receba meu coração

Dou-te meu coração,não estes que se desenha na areia,que se desfaz com as ondas,com o vento. Dou-te o meu coração,que pulsa meus sangue nas veias que explode que por dentro. Dou-sim meu coração,este músculo poderoso,que bate entoando seu nome em um ritmo tão gostoso. Dou-te sim meu coração com todo seu furor,entrego este coração transbordando de amor. Dou-te meu coração,minha vida te entrego tambem,te ofereço meu amor,como jamais entreguei a alguem. Receba meu coração. Celio Rheis

quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

O amor

O amor...O amor é assim,não tem cheiro,mas quando se ama se sente cheiro de rosas,margaridas ou jasmim. O amor é mágico,de indescritível fulgor,nos mostra um verdadeiro arco-íris,porém ele não tem cor. O amor nos faz sentir fome,sede,vontades,mas este maravilhoso sentimento é totalmente insípido,não tem sabor. O amor é a energia que nos remete a zilhões de kilômetros em milésimos de segundos,mas com suavidade,com prazer,com benevolencia pois este delicioso sentimento não conhece violencia. O amor nos faz sentir criança,nos leva de volta ao passado ou para o futuro,ele é eterno,sempre existiu,e sempre existirá para nos iluminar nos tirando do escuro. Não há como descrever o amor se nunca o tiver sentido,para quem nunca amou é impossível retratar o amor. O amor é energia,invisível,é poderosa energia inextinguível,ela está ai no ar,no mar,na natureza,onde voce buscar. O amor é como a fé para conhecer basta sentir,mas não depende de nós para existir. Celio Rheis

domingo, 23 de fevereiro de 2014

Eu me sentia velho....

Ainda ontem eu me sentia velho,não tinha as dores de hoje,não tinha ainda os cabelos brancos,mas me sentia velho. Ainda ontem eu tomava diariamente remédios dos mais variados para me manter,pois me sentia velho,cheio de incapacidades. Ainda ontem quem vivia comigo,me chamava de "velho",claro se até eu me sentia velho! O tempo passou,meus cabelos branquearam,algumas rugas chegaram,mas não uso mais os remédios continuos,a mulher com quem vivo,é bem mais nova que eu,porém não me chama de velho,porque certamente não sou velho,não me sinto velho. Claro limitações surgiram,mas outras qualidades apareceram,me descobri mais homem que antes,porque não mais me sinto velho. As fraquezas desapareceram,os sonhos reacenderam,os horizontes se descortinaram,porque agora sou um homem,não mais aquele velho,que se sentia velho. Não perco mais as oportunidades,não mais fico perdido num canto abandonado,chorando a condição de velho,doente,porque não sou aquele doente e velho,hoje vivo o que não vivi,hoje sorrio o que não sorri. Hoje amo,como nunca amei,não mais choro como já chorei,cada dia é mais uma oportunidade de viver,de amar,de sorrir. Eu me sentia velho,ate porque pessoas me faziam sentir velho. Eu realmente me sentia velho. Celio Rheis

Ame,sorria

Amar quem te ama,é fácil... muito fácil, mérito mesmo está em amar aos que te odeiam. Sorrir para quem te sorri,é fácil prazeroso,mérito está em sorrir para quem te magoa ou ofende. Ser dócil,simpático com quem o é com voce,é bom,é bonito,mas ser dócil,e simpático com os estúpidos e ignorantes,é que nos faz merecedores de mérito. Gritar com os que gritam conosco,é sob o ponto de vista humano justo e nos faz sentir de igual para igual,mas que vantagem tem em ser igual a um ignorante?O idel é que falemos baixo com educação até com quem grita conosco. Ser atencioso com nosso filhos,nossos esposos e esposas,nossos irmãos e irmãs,é muito bom e bonito tambem,mas só estamos dando aquilo que gostamos de receber. O certo é amar,sorrir,mesmo a quem não n os ama e a quem não nos sorri. Ame,sorria sempre Celio Rheis

segunda-feira, 10 de fevereiro de 2014

Dorme amor..

Dorme amor,dorme lindamente meu amor,descanse depois do amor. Amor vivido por nós,suado,rolado pelos lençóis. Relaxe suavemente,voe com corpo e mente,no universo imponente,mas retorne para amarmos-nos novamente. Viaje amor,sobrevoe brumas de algodão,deixe acalmar seu coração de nossa imensa explosão. Este amor que vivemos é sem igual,dormindo sonhamos é real,acordados viajamos lado alado,como seres alados. Dorme amor,dorme em profunda paz,que o amor quer sempre mais nosso afã fugaz,ou será fera voraz? É amor somos tudo isso amando,feras se desbravando,almas se entrelaçando,macho e fêmea se entregando. Dorme amor pode descansar sossegada,que sua viagem será vigiada por seu fiel cavaleiro. Aqui está firme a postos vigiando,seu sono contemplando este seu cigano enzoneiro. Deixa a manhã chegar,sol brilhante raiar,terá a beira da cama seu café a te esperar. Dorme amor... Celio Rheis